As novas tecnologias proporcionam oportunidades excepcionais para o marketing. No marketing 5.0 elas são aplicadas para ajudar as empresas a criarem, comunicarem e entregarem valor ao longo da jornada do cliente. O objetivo é criar uma jornada suave e engajadora, integrando sem atritos os ambientes físico e virtual.

A tecnologia amplia as possibilidades e potencializa o marketing de pelo menos cinco formas:

  1. Com a produção de melhores decisões com apoio de big data: todos os pontos de contato dos clientes podem ser registrados e cada vez mais os consumidores deixam “rastros” na internet e mídias sociais.
  2. Com o desenvolvimento da capacidade de fazer previsões precisas sobre os resultados de estratégias de marketing: com analytics potencializados por IA é possível montar modelos preditivos e obter recomendações sobre novos produtos e campanhas a partir da análise de desempenhos passados.
  3. Viabilizando que a experiência digital seja trazida de forma contextualizada para o mundo físico: o rastreamento de navegação permite uma experiência personalizada de marketing. A Internet das Coisas potencializa isso, trazendo pontos de contato para o físico (experiência omnichannel).
  4. Ampliando a capacidade de geração de valor da linha de frente por meio de insights e redução de trabalhos de baixo valor: em vez de encarar a situação como humano x máquina, a IA pode ser usada em atividades de menor valor ou processando informações de suporte à decisão, liberando os profissionais para demandas mais personalizadas e interações sociais.
  5. Possibilitando o aumento da velocidade de execução do marketing: em vez de criar produtos ou campanhas “do zero”, as empresas poderão se utilizar de plataformas open source para co-criação.

marketing 5-0

Para conseguir desbloquear estes potenciais, podem ser utilizadas algumas possibilidades tecnológicas, como (1) inteligência artificial para processamento de múltiplas operações baseadas em regras e aprendizado supervisionado e não supervisionado; (2) processamento de linguagem natural, gerando entendimento e conversas “reais” a partir de diálogos não estruturados; (3) sensor tech para reconhecimento de imagens e faces com aplicações diversas como segurança e entendimento de reações; (4) realidade mista, com uso da realidade aumentada, colocando o virtual no mundo físico e da realidade virtual colocando as pessoas num contexto virtual; (5) internet das coisas e blockchain, que possibilitam a interconectividade entre dispositivos para monitoramento de movimentação, por exemplo e (6) robótica, por meio da automação de processos de acordo com diretrizes específicas, como coleta automática de informações em texto de e-mail para alimentar CRM.

No marketing 5.0, essas tecnologias podem ser aplicadas em três grandes grupos de atividades:

Marketing preditivo: uso de analytics e aprendizado de máquina para prever resultados de campanhas, potencial de sucesso no lançamento de produtos e preferências de compra do cliente. A capacidade de detectar com antecedência a evasão de um cliente a partir de suas interações ou de definir qual a melhor recomendação de produto para um cliente também exemplificam essa aplicação.

Marketing aumentado: uso da tecnologia para potencializar as equipes criativas e de atendimento, aumentando a sua produtividade. Isso significa poupar tempo e energia das pessoas para o que elas conseguem fazer de melhor, como atividades de relacionamento e geração de insights (a partir de informações e correlações muito mais claras).

Marketing contextual: identificação de perfis de acordo com interações personalizadas com sensores e interfaces digitais no espaço físico. É a junção da Internet das Coisas com a Inteligência Artificial. A IoT consegue captar os gatilhos: o perfil certo, a pessoa certa, no lugar certo, no momento certo e com o humor certo. A IA consegue definir as respostas a estes gatilhos: a experiência certa, a mídia certa, a promoção certa, o produto certo e a mensagem certa. A partir das próprias informações do cliente, é possível criar a melhor experiência de marketing e compra para aquela pessoa naquele momento.

Para que estas aplicações funcionem bem, as empresas precisam desenvolver essencialmente duas competências do Marketing 5.0:

A primeira é o data driven marketing, que em linhas gerais é a capacidade de planejar os dados a coletar, coletá-los em larga escala e tempo real e processamento de big data para tomada de decisão.

A segunda competência é o marketing ágil, que é o funcionamento em times descentralizados e multifuncionais para desenvolvimento de produtos e campanhas em entregas modularizadas, com um forte componente de experimentação e aprendizado, funcionando em iterações com idas e vindas em vez de uma sequência em cascata.

 

Quer saber mais sobre o Marketing 5.0? Inscreva-se no Workshop oferecido pela Delta clicando aqui.

 

Leia mais sobre transformação digital e estratégia aqui:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *