No dia a dia da gestão, nos deparamos com muitas situações de desvio de rumo, tais como: descontinuidade de projetos, não alcance de metas e resultados esperados, atrasos nos prazos, etc. A prática tem evidenciado que a monitoração sistemática do desempenho possui um papel fundamental para a execução de planos, projetos e estratégias, pois o processo ajuda a impor a rotina necessária de cobrança e avaliação dos resultados parciais, combatendo a procrastinação e a utilização de pretextos para não fazer o que precisa ser feito.

Nesse sentido, o uso de indicadores tem uma importância singular para impulsionar o processo de monitoração e construir um modelo de gestão avançado, já que isso torna o processo mais objetivo e direto, quer seja pelo fato de ajudar a evidenciar mais rapidamente os pequenos progressos; quer seja por facilitar a construção de uma referência comum para a mensuração do desempenho.

Todavia, implantar um sistema de indicadores gerenciais é bastante exigente, e, por isso, alguns cuidados básicos devem ser tomados, para minimizar os riscos de fracasso.

É importante levar em consideração o seguinte: (1) construir os indicadores de modo participativo, mas com foco claro no direcionamento da empresa; (2) criar indicadores sob medida para a realidade, dando realce àqueles que estejam vinculados aos objetivos estratégicos e selecionando apenas os que representam as dimensões mais básicas e importantes do desempenho (sem excessos); (3) tratar os indicadores como uma ferramenta prática, ou seja, não focar no ideal ou no “seria bom se fosse assim”, mas utilizá-los de modo viável; (4) ter uma linha de base para acompanhamento da evolução dos dados; (5) construir um entendimento comum entre gestores e equipes sobre o significado dos indicadores e (6) avaliar os indicadores escolhidos por um padrão de qualidade pactuado.

Com relação à gestão, é essencial garantir o patrocínio das lideranças, investir o que for necessário para a adequada compreensão dos indicadores e dos seus impactos para o desempenho da empresa, dar visibilidade ao papel de cada área/profissional em relação ao resultado esperado em cada indicador e realizar reuniões sistemáticas de monitoração dos indicadores com apresentações o mais simples quanto for possível.

Um bom planejamento estratégico tem grande importância para a competitividade e o sucesso empresarial, mas sozinho não é capaz de dar conta dos desafios que as organizações têm de enfrentar. A monitoração sistemática com o acompanhamento regular e disciplinado dos avanços e dificuldades, apoiada por um painel de bordo com indicadores consistentes, é uma ferramenta essencial sem a qual planejamento nenhum sai do papel.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *